30 de novembro de 2020

EPAMA

Noticias

Confira os maiores erros de gestão financeira para ficar longe deles

Confira os maiores erros de gestão financeira para ficar longe deles

Uma das primeiras lições que muitos profissionais precisam aprender quando se tornam donos do próprio negócio é como lidar com o dinheiro. Ter boas finanças pessoais e saber pagar bem suas contas, em muitos casos, não são suficientes para lidar com um negócio, o que leva a vários erros de gestão financeira que prejudicam seu desempenho.

Mesmo com o acesso cada vez mais fácil a informações e instruções, algumas dessas falhas continuam sendo cometidas por quem não está atento. Se a sua empresa gera pouca rentabilidade, pode ser que você esteja caindo em um desses erros sem nem mesmo perceber.

Para ajudá-lo a entender melhor sua situação e evitar algumas armadilhas, separamos os principais erros de gestão financeira que existem e qual impacto eles têm no seu desempenho. Confira!

Deixar a folha de pagamento exceder o orçamento

Você certamente tem uma equipe à sua disposição, formada por colaboradores que exigem um salário compatível com o mercado. É tentador contratar um grande número de profissionais para ampliar seus serviços, mas se o valor pago ultrapassar o orçamento, você precisa repensar a situação. Contrate apenas o necessário para atender às demandas e expanda na medida em que for necessário.

Desconhecer o valor do seu negócio

Cada empresa tem um valor de mercado baseado em seu faturamento anual e no total de patrimônio. Essa quantia é um bom termômetro para o desenvolvimento e crescimento da sua empresa. Se você não a conhece bem, terá mais dificuldades para acompanhar seu progresso ou mesmo negociar com parceiros.

Ter um fluxo de caixa impreciso

Alguns erros de gestão financeira que muitos carregam de suas finanças pessoais são: basear-se em estimativas e arredondar valores. Isso pode ser o suficiente quando você tem poucos riscos, mas é um péssimo hábito em uma empresa. No fim do mês, o total dos arredondamentos pode deixar o fluxo de caixa muito acima ou abaixo do real.

Misturar gastos pessoais e profissionais

Outro mau hábito de grande parte dos microempreendedores é pensar que o dinheiro da empresa é dele e vice-versa. Mesmo que não haja uma distinção entre o patrimônio pessoal e o do negócio de um ponto de vista jurídico, você deve sempre separar aquilo que cabe à sua casa e o que se destina à manutenção da empresa.

Fazer planejamentos que não sejam práticos

Muitos sonham em administrar o próprio negócio e começar a faturar milhões, mas poucos pensam em como alcançar essa meta ou na quantidade de tempo/esforço demandada. Lembre-se de que não adianta fazer planos mirabolantes sem respaldo na realidade.

Não focar nas despesas fixas

Por fim, mas não menos importante: você jamais deve se esquecer de suas despesas fixas, independentemente de qual seja o motivo. Trata-se dos custos mais básicos com os quais é preciso arcar para manter a empresa funcionando.

Tomar precauções com o dinheiro é sempre importante, mas tenha um cuidado redobrado nesse período de crise. Se mantiver seu fluxo de caixa saudável, certamente poderá aproveitar o reaquecimento do mercado no futuro, sem erros de gestão financeira.

FONTE:

Minaspetro 

Facebook

Siga-nos no facebook

Publicidade

Assine nossa Newsletter e receba nossas notícias GRATUITAMENTE!
Assinar