19 de setembro de 2018

EPAMA

Noticias

Mas o que fazer quando se está endividado demais?

Veja 23 dicas:

1 – Vender ativos da empresa ou do acionista para capitalização;

2 – Reduzir o estoque, aumentar a eficiência de produção e estocagem e, se possível, fazer just in time;

3 – Calcular a necessidade de capital de giro e somente trabalhar com capital de giro próprio ou com ajuda de fornecedores;

4 – Pedir mais prazo para pagamento a fornecedores;

5 – Pedir adiantamento de clientes;

6 – Reduzir o capital de giro com diminuição do prazo de recebimento e estocagem;

7 – Cobrar clientes atrasados, diminuir inadimplência

8 – Buscar recursos de longo prazo

9 – Aumentar o número de bancos de relacionamento para melhorar a negociação de condições dos financiamentos e não correr risco de não te recursos nas datas de pagamento

10 – Renegociar dívidas com parcelamento de pagamento de acordo com a projeção de fluxo de caixa

11 – Otimizar a utilização de caixa do grupo e do acionista;

12 – Economizar, reduzir custos e despesas para sobrar mais para pagar dívidas;

 13 – Oferecer garantias para renovação de financiamentos com melhor custo e prazo mais longo;

14 – Tomar cuidado com variação cambial, indexadores, descasamentos etc. Use hedges se possível.

15 – Vender participação acionária para investidores;

16 – Capitalizar a empresa com recursos de acionistas;

17 – Em situação crítica, atraso seletivo de pagamentos com cuidado para não perder crédito ou ter negativação. Atraso seletivo e parcelamento de impostos;

18 – Evitar ao máximo atrasar pagamento de folha de pagamento e nunca atrasar impostos como INSS retido de funcionários;

19 – Evitar factorings e agiotas, pois as taxas costumam ser altas, apesar de algumas vezes serem mais baratas que o cheque empresarial;

20 – Iniciar um turnaround na companhia entendendo o que causou a dívida: descontrole, altas taxas, ineficiências, maus negócios, baixa rentabilidade, baixa competitividade etc. Tratar as causas é muito importante, senão a dívida continua crescendo;

21 – Considerar a recuperação judicial como opção, caso a situação se agrave. Porém, tente entrar com este recurso com a companhia ainda viva e com algum caixa extra para passar por esta fase dura de recuperação;

22 – Não se iludir com o volume de vendas e focar em geração de caixa e rentabilidade;

23 – Vender a companhia para um concorrente pode ser uma solução dolorosa, porém, às vezes é a única.

Lembre-se: O que paga dívida é geração de caixa e capitalização e não o refinanciamento via outra dívida.

Fonte: Ricardo Mollo é professor dos cursos de Certificates do Insper.

Tópicos: Dicas de Empreendedorismo Dicas para seu negócioDívidas empresariaisGestão de negóciosGestão

Facebook

Siga-nos no facebook

Publicidade

Assine nossa Newsletter e receba nossas notícias GRATUITAMENTE!
Assinar