24 de janeiro de 2019

EPAMA

Noticias

Qual a necessidade de medir o tanque de combustível do posto?

A maioria dos postos de combustíveis conhecem a importância de cuidar do controle de estoque.Medir o tanque de combustível permite identificar possíveis vazamentos, que poderiam resultar em perda de produtos e ainda a contaminação ambiental, garantindo maior eficiência operacional ao negócio.

O volume armazenado no tanque de combustíveis pode ser diferente daquele que consta nos registros do posto. Isso ocorre em função de problemas como perdas por evaporação ou vazamento, falhas nas anotações do Livro de Movimentação de Combustíveis (LMC) ou nos Danfes (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) entregues pelas distribuidoras, variações de temperatura, entre outros motivos.

O monitoramento permite um controle mais efetivo e também evita outros desdobramentos, como a necessidade de descontaminação do solo em caso de vazamento.
Neste post vamos explorar as principais necessidades de medir o tanque de combustível para o seu posto de combustível. Vamos lá!

Entenda por que é necessário medir o tanque de combustível

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) estabelece que a variação máxima em um tanque de combustíveis não pode ultrapassar 0,6%.

O risco de uma eventual diferença acima desse percentual é de que o Sistema de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis (SASC) esteja com algum ponto de vazamento, que resulte em contaminação do solo e das águas subterrâneas.

Se de fato isso ocorrer, a descontaminação é cara e demorada, além de muitas vezes comprometer parte da operação do posto, já que bombas e tanques precisam ser interditados temporariamente.

Há casos em que o próprio posto é fechado pelo órgão ambiental local, dependendo da gravidade do vazamento. O prejuízo, nesse caso, vai muito além da perda do combustível.
No entanto, é importante saber que, além de perdas por vazamento, existem outras razões que levam às divergências entre o volume do tanque e os registros de recebimento de produto, são elas:

  • Evaporação;
  • Temperatura na hora da descarga do produto (a cada 1.000 litros, 1º C a mais ou a menos gera aumento ou redução de volume de aproximadamente 1 litro);
  • Presença de água no tanque (nesse caso, vale atenção especial aos tanques de diesel, já que o biodiesel adicionado ao diesel fóssil é uma substância altamente higroscópica e pode acarretar problemas como borras e entupimento de filtros, além de danificar o medidor);
  • Bombas de abastecimento descalibradas (que sujeitam o posto a autuação pelo Inmetro e, dependendo do caso, até interdição e perda de inscrição estadual);
  • Aparelhos de medição descalibrados.

 

Sempre é importante lembrar que a revenda de combustíveis é considerada uma atividade potencialmente poluidora e, por isso, o posto deve respeitar uma série de exigências estabelecidas pela legislação ambiental.

Fazendo o monitoramento do tanque

controle efetivo do estoque é primordial para o negócio. Isso evita tanto a perda de produto quanto o risco de autuação e interdição do posto, além de garantir o cumprimento das normas ambientais.

No passado, o uso de réguas de mensuração era comum, mas atualmente já existem equipamentos capazes de aferir os tanques de combustíveis, armazenando os dados em sistema e comparando aos registros de entrada e saída de produto. Com isso, o gerenciamento pode ser feito em tempo real e de forma remota.

Além de detectar perdas, o monitoramento permite atualizações de inventário, registro de emissões de vapores (se as bombas não tiverem um sistema de recuperação de vapores), alarmes em caso de inconsistência entre as informações registradas e o volume efetivo do tanque, entre outras funcionalidades.

Medir o tanque de combustível é essencial para melhorar o desempenho do seu posto revendedor em um mercado altamente competitivo. Além disso, é primordial garantir a qualidade do produto fornecido ao consumidor. Por isso, todos os procedimentos de manutenção preventiva devem ser seguidos à risca, evitando contaminação e outros problemas com os combustíveis.

Ao receber o produto de sua distribuidora, é importante fazer os testes indicados pela ANP e sempre guardar a amostra-testemunha, que é a sua única prova em caso de uma eventual desconformidade.

Deseja receber mais informações sobre gestão total e descomplicada para postos? Baixe nosso e-book Gestão de Postos de Combustíveis e tenha o controle total do seu negócio.

Créditos: OWP Brasil

Fonte 

Publicado em: 

Facebook

Siga-nos no facebook
Assine nossa Newsletter e receba nossas notícias GRATUITAMENTE!
Assinar