20 de novembro de 2019

EPAMA

Noticias

Saiba como fazer a aferição de bombas em postos de combustíveis

Os proprietários de postos de combustível entendem que, para manter uma operação lucrativa e segura, é necessário garantir a preservação dos seus equipamentos. Assim, uma parte dos resultados da empresa deve ser redirecionada para o investimento em avaliações periódicas, aferição de bombas, tanques e outras instalações.

Isso porque, ao agir de maneira preventiva e adotando precauções de rotina, é possível estender a vida útil dos equipamentos do posto e, assim, evitar gastos extras decorrentes da substituição de peças fora do tempo previsto, além de prevenir panes de origem elétrica ou mecânica, isso sem falar na grande vantagem de se evitar aplicações de multas dos órgãos fiscalizadores, por problemas nos referidos equipamentos.

Qual a importância da aferição de bombas?

A portaria INMETRO n.º 559 de dezembro de 2016 estabelece a responsabilidade dos postos em manter o correto funcionamento das bombas. A fiscalização de adequação a esses termos é rigorosa e, em caso de não cumprimento, as penalidades podem ser a lacração das bombas, multas e até o fechamento do posto, quando detectada fraude no equipamento.

Fora a obrigação legal, o impacto de possíveis vazamentos em bicos ou mangueiras é outro item que reforça a relevância das aferições, pois o contato do óleo diesel ou gasolina com o solo podem gerar danos ambientais. As bombas de abastecimento são os principais instrumentos metrológicos do revendedor, cabendo a ele planejar a atividade de aferição rotineiramente.

Como é o procedimento?

Todas os postos de combustíveis devem seguir o padrão estabelecido pela legislação em vigor para a garantia dos seus serviços aos clientes. Para isso, além do posto contar com as bombas de abastecimento com aprovação do modelo pelo INMETRO em perfeito estado de funcionamento, também devem possuir medida padrão também aferida e lacrada pelo INMETRO, com capacidade de 20 litros de volume, para a efetiva conferência da vazão de cada equipamento medidor.

Segundo a NBR 15594-1, esse processo visa atender aos requisitos das portarias do INMETRO para garantir o perfeito funcionamento dos medidores instalados nos postos. Cada bico é aferido por meio da coleta de combustível na medida padrão.

É necessário anotar no LMC, mais precisamente no campo de aferição, o volume de combustível destinado à aferição, sendo que após o teste na vazão do equipamento, o conteúdo retornará novamente ao tanque de armazenamento.  Caso seja constatada alguma anomalia na aferição, os bicos em desconformidade deverão ter seu funcionamento imediatamente paralisado pelos responsáveis do posto, que deverão trancar o equipamento e abrir um chamado por escrito, para que a empresa de manutenção vá até o revendedor para  fazer a adequação dos equipamentos.

Periodicidade

Cabe ao posto definir a periodicidade das aferições preventivas conforme sua operação e de acordo com o tempo de uso de seus equipamentos, ou seja, aquelas bombas medidoras mais antigas e que se desregulam com habitualidade, deverão ser conferidos em um interregno de tempo mais curto, ao contrário daquelas em que normalmente não apresentam-se com variações em suas conferências periódicas.

Também devem ser realizadas aferições sempre que houver evidência de danos físicos ou falha no funcionamento das bombas.

EPIs recomendados no PPR

Para realizar uma aferição de bombas correta, é fundamental que todos os colaboradores envolvidos estejam de porte dos seus EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), conforme determinado pelo PPR (Programa de Proteção Respiratória), são eles:

  • luvas de pvc;
  • óculos de visão ampla;
  • avental impermeável;
  • uniforme de algodão;
  • calçado antiderrapante e máscara de proteção.

Cuidados pré e pós-aferição

Os cuidados com a aferição devem ser avaliados antes do início dos trabalhos por meio de um planejamento abrangente, observando também as etapas pré e pós-aferição. Como cuidado preventivo pré aferição, é preciso dispor extintores de incêndio de maneira estratégica pelo local e isolar a área com placas, fitas de sinalização e pelo menos 4 cones para inibir o tráfego de veículos e pedestres.

Também é necessário verificar se não há fumantes no local e se nenhum dos funcionários envolvidos está sem os EPI necessários. Terminado o processo, resta liberar a local e as bombas, recolhendo os equipamentos e registrando as aferições.

Até aqui podemos entender a importância da aferição de bombas de um posto de combustível para evitar perdas e outras complicações como multas e danos ambientais.

E você, como realiza a aferição de bombas e manutenção? Como trabalha o treinamento

17 DE JULHO DE 2019 • POSTO DE COMBUSTÍVEL

Fonte 

Facebook

Siga-nos no facebook
Assine nossa Newsletter e receba nossas notícias GRATUITAMENTE!
Assinar